logo mnemocine

fellini.png

           facebookm   b contato  

Guia Básico para Produção Audiovisual

Guia Básico para Produção Audiovisual

A produção de uma obra audiovisual é um trabalho em grupo, envolvendo uma enorme quantidade de profissionais, serviços e equipamentos. Este guia básico, pretende traçar o caminho para que seu trabalho ocorra de forma mais organizada e rápida. Ele não vai abordar a filmagem em si mas sim o processo de organização da ideia ao trabalho concluído. A terminologia aqui usada é uma entre várias, portanto não estranhe caso veja termos diferentes do que costuma usar

por Aritanã M. Dantas *


A produção de uma obra audiovisual é um trabalho em grupo, envolvendo uma enorme quantidade de profissionais, serviços e equipamentos. Este guia básico, pretende traçar o caminho para que seu trabalho ocorra de forma mais organizada e rápida. Ele não vai abordar a filmagem em si mas sim o processo de organização da ideia ao trabalho concluído. A terminologia aqui usada é uma entre várias, portanto não estranhe caso veja termos diferentes do que costuma usar.

1- Sinopse ou storyline: história contada em uma frase, serve como ponto de partida para o autor e como cartão de visita do projeto (filme ou vídeo), no processo inicial de captação de recursos.

"Ana Maria entrou na cabine e foi vestir um biquini legal, mas era tão pequenino o biquini que Ana Maria até sentiu-se mal.(mas ficou sensacional!)"

2- Argumento ou pré-roteiro: Texto literário, com a história completa com todos seus elementos dramáticos. É a parte mais criativa do processo. Semelhante à um conto, porém mais objetivo, sem "literatices" e normalmente sem diálogos, apenas referência à estes.

Manhãzinha na praia do cedro, o sol já brilha, mas de tão baixo, ilumina a areia através das folhas de frondosos Chapéus de sol que separam a praia do resto do continente.
De longe e saltitante vem Ana Maria. Radiante em seus mal completos 16 anos, os cachos loiros pulando como molas enquanto ela anda, não vê a hora de colocar seu novo biquini. No caminho encontra Seu Pedro, sorveteiro de praia. Eles se comprimentam.
[...]

3- Roteiro: Texto técnico detalhado e descritivo, serve para levantamento das necessidades de cada cena e como guia de filmagem. Por convenção os diálogos são escritos com travessão.

    VIDEO AUDIO
       
Cena 01: Praia Manhã
       
  Plano 01  
    Plano geral de praia ao amanhecer
poucas pessoas na praia, ao centro
Ana Maria correndo na areia de ves-
tido de algodão. Zoom in na AM até
plano médio quando AM está ao lado
de seu Pedro

Ambiente de mar misturado com sons
matinais. Continua até fim da cena.

 

 

       
  Plano 02  
    Close seu Pedro Pedro (SD): - Bom dia Ana Maria!!
       
  plano 03  
    Super close de AM virando o rosto
em contra luz.

AM (SD): - Bom dia seu Pedro!

       
 

4- Story Board: história em quadrinhos que descreve com desenhos cada um dos planos de um filme segundo o roteiro. Não é obrigatório, mas ajuda muito.

5- Decupagem ou Análise Técnica: Com o roteiro pronto, começa o processo de levantamento de necessidades cena a cena. Este processo é conhecido como decupagem. É aqui que se decide, baseado no custo e na opção estética, qual será o meio usado para o projeto.

Filme: ANA MARIA
Cena 1
Local: Locação praia com Chapéus de sol
Atores: 2 - Ana Maria e Seu Pedro
Figurino: Vestido de algodão, uniforme de sorveteiro
Figuração: Pessoas na praia
Objetos de cena: Carrinho de sorvete. Material de praia para figuração
Equipamento: Câmera com Zoom, equipamento de captação de som
Equipe: Diretor, ass. de direção, continuista, diretor de fotografia, operador de câmera, técnico de som direto, equipe de produção, figurinista, cenógrafo, maquinista.
Obs.: Não esquecer da alimentação da equipe e atores/ figuração.

 

6- Claquete: uma pequena lousa onde está marcado o número da cena, do plano e do take além do nome do vídeo e um espaço para observações. Ela deve ser preenchida e filmada por cerca de 10 segundos antes de cada take. Se o som estiver sendo captado por um gravador externo (não pela câmera) Ela deve ser ditada e ter capacidade de produzir um ruído seco que corresponda a um movimento rápido e preciso na imagem (normalmente uma haste de madeira presa à claquete é usada para isto). Este som e movimento vão permitir que o vídeo e o audio sejam rapidamente sincronizados na edição.

 

7- Ficha de Filmagem: Durante a filmagem, alguém da equipe, geralmente o assistente de direção, vai preenchendo uma ficha de filmagem, onde se anota de forma rápida o que aconteceu em cada take e quais foram os melhores

 

Vídeo: ANA MARIA
[...]  
CENA 1 (Praia Manhã)
Plano 2 - Close Seu Pedro

TAKE:

 

 

 

 

01 Seu Pedro errou o texto
02 Seu Pedro ainda tenso
03 não valeu (passou carro buzinando)
04 Ruim de interpretação
05 mais ou menos
06 melhorzinha
07 acabou a fita no meio do take
08 A BOA
[...]  

 

8- Decupagem do material filmado: Depois de terminada a filmagem, usando a ficha de filmagem como guia, são escolhidos os takes que serão utilizados na edição. E nada mais é que uma lista dos takes utilizáveis, escritas no formato cena/plano/take:
[…] , 1/2/6, 1/2/8, [...]

9- Digitalização: passagem do material escolhido para o computador onde será feita a edição. Hoje em dia os equipamentos de edição (dos mais baratos aos mais sofisticados) são baseados em computador e utilizam de um método chamado "Edição não linear" onde após a digitalização se tem um grande controle sobre o material. O método mais antigo, edição linear, embora não perca tempo digitalizando o material, é muito menos flexível e mais demorado. 

10- Edição e Finalização: é o processo onde o vídeo ganha sua forma final, com todas as transições, letreiros, sons e efeitos.


Pequeno glossário informal de termos técnicos:
 
A. TABELA DE MEIOS
 
Pelicula
Video Composto
Video Componente
Video Digital
Baixa Resolução
8mm
VHS
Video8

Video de computador

(avi, qt, etc..)

 
Super-8
 
BetaMax (extinto)
       
Média Resolução
16 mm
Super VHS
Hi 8
DV, Mini-DV
     
U-Matic (extinto)
 
Alta Resolução
35 mm
1Polegada (extinto)
Betacam SP
Beta Digital, HD, DVCPRO HD, HDV
 
70 mm
   
D1, D2, HDTV, 2k, 4k
 
 
B. Movimentos de Câmera
 
- Panorâmica (Pan): quando a câmera gira em um eixo paralelo ao plano do filme. Pode ser horizontal, vertical, invertida horizontal, invertida vertical.
   

- Traveling: Movimento onde a câmera anda sobre um caminho. Altera a perspectiva e a profundidade de campo. Pode ser horizontal, vertical, in ou out.

 

 

 

   

- Zoom: Movimento de lente que aproxima ou distancia o objeto, não alterando a perspectiva, mas alterando também a profundidade de campo (área nítida entre o fundo e o objeto). Pode ser In ou Out.

 

 

 
C. ENQUADRAMENTOS

- Plano Geral (PG): Pega todo o ambiente onde está o objeto da filmagem com este pouco definido ao centro (mostra toda a praia com Ana Maria correndo ao centro)
- Plano Aberto (PA): Pega todo o objeto da filmagem e nada mais (mostra Ana Maria de corpo inteiro)
- Plano Americano (PAm): Muito usado em Hollywood nos anos 40/50, Mostra +ou- dois terços do objeto (Ana Maria de cima do joelho à cabeça)
- Plano Médio (PM): mostra meio objeto (Ana Maria da cintura para
cima)
- Plano Próximo (PP): Mostra 1 terço do objeto (Ana Maria apresentando telejornal)
- Close: Mostra parte significativa do objeto (rosto de AM)
- Super Close (Close Up): Mostra detalhe de parte significativa do objeto (olhos de AM)


* Aritanã M. Dantas (1966-2013)  - foi  montador e finalizador de imagem e som, e também designer gráfico responsável pelo logotipo de Mnemocine. Este artigo foi publicado originalmente em 1999 na primeira edição de Mnemocine.