3_odisseia.png

          

História do Cinema

Aqui estão os textos, artigos e ensaios referentes a História do Cinema. A seção,  desenvolvida com a ajuda de nossos colaboradores, professores, pesquisadores e cineastas, possibilita uma farta  reflexão sobre o universo audiovisual.  OBS: Textos de maior extensão encontram-se em PDF na seção "Downloads".

Bibliografia Básica sobre Cinema Brasileiro

1. Histórias panorâmicas
2. Período silencioso
3. Cinédia
4. Chanchada
5. Vera Cruz, Maristela, Multifilmes, Kino Filmes e cinema independente
6. Cinema Novo
7. Cinema Marginal
8. Documentário
9. Roteiros
10. Salas de exibição
11. Cinema, indústria e Estado
12. Ensaios de viés estético
13. Ensaios de viés histórico
14. Coletâneas de artigos esparsos de críticos e cineastas
15. Livros e artigos sobre críticos, cineclubes e cinematecas
16. Autobiografias, biografias e correspondência
17. Entrevistas
18. Dicionários, filmografias e bibliografias

Leia mais...

O audiovisual como documento histórico:

Na década de 30 deste século, Walter Benjamim, partindo de um referencial marxista para pensar as transformações que o desenvolvimento tecnológico impunha à vida cotidiana, ressaltava que a forma de percepção das coletividades humanas se transformava ao mesmo tempo que seu modo de existência, sendo ela própria e os meios pelos quais se manifestava condicionados natural e historicamente (1).

Leia mais...

O Ano de 1902 - Considerações sobre as primeiras projeções de Cinema em São Paulo


INTRODUÇÃO

Já fizemos notar em outro artigo alguns aspectos sobre a construção do mercado exibidor e a recepção dos filmes na cidade de São Paulo.  Não se trata aqui de repetir o mesmo percurso, todavia de destacar nuances e aprofundar certos pontos da trajetória da organização do espetáculo cinematográfico na capital paulista.

Leia mais...

O Cinema Mudo em Quatro Livros

A produção historiográfica sobre o início do Cinema no Brasil
Os cursos universitários de cinema têm quase meio século. Não seria um exagero afirmarmos que a produção universitária de teses e dissertações começou pelo princípio, ou seja, o cinema mudo, com o sólido grupo criado à volta de Paulo Emílio Salles Gomes. Um programa foi estabelecido na década de 1960 por Paulo Emílio, Maria Rita Galvão, Jean Claude e Lucila Ribeiro Bernardet, Ismail Xavier e Carlos Roberto de Souza, continuando a dar frutos nas seguintes (1).

Leia mais...