logo mnemocine

vertigo.png

           facebookm   b contato  

História do Cinema

Aqui estão os textos, artigos e ensaios referentes a História do Cinema. A seção,  desenvolvida com a ajuda de nossos colaboradores, professores, pesquisadores e cineastas, possibilita uma farta  reflexão sobre o universo audiovisual.  OBS: Textos de maior extensão encontram-se em PDF na seção "Downloads".

Por Uma Teoria (Crítica) do Cinema (Ideológico): Convergências entre o nazi-fascismo e a indústria cultural

1 A OBRA DE ARTE NA ÉPOCA DA INDÚSTRIA CULTURAL

"De cada ida ao cinema, apesar de todo o cuidado e atenção,saio mais estúpido e pior."
Theodor Adorno - Minima Moralia

Num texto que já se tornou um clássico da Teoria do Cinema, "A Obra de Arte na Época de sua Reprodutibilidade Técnica" (1935-6), Walter Benjamin ainda apostava no potencial revolucionário das técnicas de reprodução, vendo o cinema como a típica manifestação artística do novo homem e suas formas de percepção modificadas no mundo moderno.

Leia mais...

A Atlântida de 1950 A 1960

O início da década de 50 marcou para a chanchada brasileira uma enorme reviravolta. Embora a Atlântida tenha se consagrado na década anterior como uma das mais fortes indústrias cinematográficas do país, ainda assim as produções eram um tanto desleixadas.

 

Leia mais...

A produção de curtas-metragens e o papel das escolas de cinema entre 1994-2000

Histórico

Não são poucos os artigos ensaísticos sobre a cinematografia de curta-metragem que enfatizam o nascimento do cinema neste formato, e que daí retiram a conclusão de sua importância sumária no desenvolvimento do cinema. De fato, as primeiras filmagens executadas pela companhia de Edison para o Kinetoscópio, não passavam de tiras fotográficas com 17 metros de extensão (o máximo que a tecnologia da época era capaz de produzir) que eram passadas numa velocidade inconstante, cuja duração não ultrapassava os 30 segundos.

Leia mais...

Brevíssimo panorama do Cinema Brasileiro nos anos 90

A extinção decretada pelo ex-presidente Fernando Collor de Mello em 1990 da Embrafilme e da Fundação do Cinema Brasileiro, os órgãos federais que apoiavam a produção cinematográfica brasileira, foi a pá de cal sobre uma estrutura que já há algum tempo não funcionava a contento, sendo questionada por amplos setores da sociedade, inclusive por boa parte dos cineastas.

Leia mais...